sábado, 2 de maio de 2009

Dmoados e castrados



Perdense no tempo
as tuas memorias
berros de silenzo
esquenzidas glorias
Os que lle puxeron
prezo as tuas leiras
deixaron a terra
en mans extranxeiras
feita pros de fora
que ata aqui vinheron
e a sua lingua
eles impuxeron
os de Madrid queren
que esta sociedade
dunha vez se esquenza
da sua identidade
falan de unidade
e de Bilinguismos
mais xamais mencionan
seu colonialismo
alguns companheiros
non se resignaron
a recever ordes
dos que os conquistaron
colleron a fouce
e a Madrid loitaron
e na sua loita
morte a toparon
por sermos galegos
fomos condenados
a vivir em noite
ter fama de parvos
cincocentos anos
levamos durmidos
nesta longa noite
fomos oprimidos
domados e castrados
por reis de castela
durmindo na longo
noite de pedra
ARRIBA GALEGOS
COLLEDE A FOUCE
COMA OS IRMANDINHOS
A PATRIA OU A MORTE

Sem comentários:

Enviar um comentário